KOMPANHIA

O Ilha do Tesouro

2005 a 2016

Melhor direção de Teatro Infantil – APCA 2005 (Associação Paulista dos Críticos de Arte)
Melhor Produção – Coca-Cola Femsa 2005
Um dos três melhores espetáculos infantis de 2005 – Guia da Folha
4 estrelas na revista Veja São Paulo

“Dramaturgia inteligente e experiência afetiva inesquecível em Família”.(Guia do Estado)
O Ilha do Tesouro é um espetáculo itinerante e participativo integrando adultos e crianças em jogos lúdicos de aventura e teatro. É uma experiência real e emocionante que oferece ao imaginário infantil (e também aos adultos) uma vivência única e inesquecível.
O público, alçado às categorias de piratas e heróis, percorre durante uma hora e meia um grande “cenário-instalação” feito de madeira, lona e barro em busca de um tesouro. Mas, muito mais do que um baú cenográfico cheio de ouro, balas ou doces, este tesouro é bastante verdadeiro e absolutamente surpreendente.
Enfim, por suas características particulares e originais, “O Ilha do Tesouro” é um espetáculo único no Brasil!
Neste gênero de teatro não existe o espectador sentado na poltrona assistindo de longe ao que se passa. O público é o herói! Ele faz a aventura e envolve-se fisicamente com a história. A missão das crianças é superar os obstáculos, fugir do inimigo, achar o tesouro e enfrentar os terríveis piratas! Depois de muitas aventuras, elas finalmente encontrarão o tesouro: o carinho e a segurança de quem as acompanhou durante toda a viagem (pais, avós, tios, amigos, etc). Eles – o público – estiveram juntos na caça ao tesouro, um ao lado do outro, apoiando-se, tocando-se e brincando durante a travessia. Eis o verdadeiro tesouro que o diretor quis revelar: no baú do tesouro, a aventura afetiva do relacionamento. Por isso, a importância das crianças comparecerem ao teatro acompanhadas de alguém com o qual tenham um vínculo especial.

OBSERVAÇÕES E RECOMENDAÇÕES
– O ILHA DO TESOURO é um espetáculo participativo no gênero teatro-aventura, portanto, todos farão alguma atividade durante a apresentação. É um jogo teatral mas confunde-se também com uma expedição real por lugares desconhecidos e percurso acidentado;
– Haverá atividade física e deslocamento por obstáculos. Crianças e adultos percorrerão caminhos escuros com barro, escadas de troncos, água e cordas. Possivelmente, alguns ficarão sujos de terra e um pouco molhados;
– Há guerras de bolinhas de meias e lutas com espadas de plástico. Portanto, acidentes podem ocorrer decorrentes de tais atividades (cabeçadas, lanternadas, espadadas, boladas, etc…);
– O espetáculo é desaconselhável para grávidas, deficientes físicos, visuais, cardíacos, claustrófobos, alérgicos a mofo ou pó e pessoas que tenham medo de escuro ou dificuldade de locomoção;
– A Produção reserva-se o direito de não permitir a entrada de crianças menores de 7 anos. Maiores de 12 anos poderão fazer o trajeto dos adultos;
– O espetáculo foi planejado para duplas (uma criança e um adulto) que tenham relação afetiva entre si.
– Sugere-se que a criança esteja acompanhada do pai ou da mãe ou de um parente ou pessoa com a qual ela tenha um relacionamento afetivo importante, uma vez que o espetáculo criará situações em que o amparo desta pessoa terá um significado especial. (A produção não recomenda babás como acompanhantes das crianças);
– As crianças farão a aventura separadas dos adultos, portanto, não é aconselhável para crianças que tenham medo de ficarem sozinhas;
– Para qualquer eventualidade, os adultos, apesar de separados, estarão sempre próximos das crianças. Além disso, temos monitores presentes durante todo o percurso;
Recado aos adultos: respeitem o medo das crianças.
E lembrem-se: elas são as protagonistas, vocês, apenas coadjuvantes!

 

Pede-se às crianças que tragam lanterna pequena;
Pede-se aos adultos que venham com camiseta preta, uma vez que serão “transformados” em Piratas;
Recomendam-se roupas confortáveis: tênis, jeans e camiseta e não trazer bolsas, brincos, pulseiras, celulares, sapatos de salto alto, roupas e objetos que possam atrapalhar movimentos, ações ou causar acidentes.

Atenção: Espetáculo não recomendado para grávidas, pessoas com dificuldades de locomoção, claustrofóbicas ou crianças com medo de ficarem sozinhas.


FICHA TÉCNICA
Texto, Criação, Direção Ricardo Karman
Cenografia Geral das Instalações José Anchieta e Ricardo Karman
Figurinos/Cenografia da Estalagem José Anchieta
Adereços e Cenotécnica Fernando Brettas
Elenco Yunes Chami, Mário De La Rosa, Xande Mello, Bruna Aragão, Ellen Regina, Renato Sousa
Dramaturgista Mário De La Rosa
Assistente de Direção Bernardo Galegale
Contra-regras William Souza e Beethoven Lima
Operador de som e luz Antonio Lima
Trilha Sonora Estúdio Fine Tuning
Fotografia Marcelo Lerner e Giovanni Fois
Produção Geondes Antônio e Grupo
Design Gráfico Keren Ora Karman
Realização Kompanhia do Centro da Terra

KOMPANHIA

04.07.1989

Kompa­nhia do Centro da Terra

KOMPANHIA

525 Linhas 1989

525 Linhas

KOMPANHIA

1990

Reflux

KOMPANHIA

O Santo e a Porca 1990

O Santo e a Porca

KOMPANHIA

Viagem ao Centro da Terra 1992

Viagem ao Centro da Terra

KOMPANHIA

A Grande Viagem de Merlin 1995

A Grande Viagem de Merlin

KOMPANHIA

Marathon 1996

Marathon

KOMPANHIA

2001

Teatro do centro da terra

KOMPANHIA

2005

sobre-viventes

KOMPANHIA

2005

I Mostra de drama­turgia

KOMPANHIA

2006

Corpo d’água

KOMPANHIA

2007

O Kronos­cópio

KOMPANHIA

2007

Pneuma

KOMPANHIA

2008

O Ilha - Center Norte

KOMPANHIA

2010

Teatro­kê

KOMPANHIA

2010

Aguáh - Billings

KOMPANHIA

2011

biliri e o pote vazio

KOMPANHIA

2010 a 2014

Sarau Noites na Taverna

KOMPANHIA

2014

O Ilha - Mirada

KOMPANHIA

OVONO 2016

OVONO